Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Comentários

Textos/comentários a publicações de autores de outros blogs.

Textos/comentários a publicações de autores de outros blogs.

Comentários

03
Abr22

Comentário 234

Zé Onofre

 

                234

022/02/27, sobre um texto de Sandra em silabasasolta, nesta data


No Carnaval

Cai a máscara do dia-a-dia.

Mal ela se evola no vento

Apressamo-nos a esconder o rosto

Sob as cores da fantasia,

Sob a loucura furtiva

Duma noite de folia.

 

Ao outro dia,

Após aquela noite de folias inconsequentes,

Resta o que somos.

– Destroços de humanidade,
Ao sabor dos vendavais

Que inconstantes sopram

De todos os pontos cardeais.

  Zé Onofre

01
Abr22

comentário 231

Zé Onofre

                   231 

 

022/03/11, sobre o texto Estado de Urgência, de Concha em croónicasdochãosalgado

 

Até quando,

Ó humanidade que vives do trabalho,

Te deixarás levar pelos interesses do Capital?

 

Até quando,

Ó humanidade que vives do trabalho,

Te deixarás enganar "é do interesse da Nação"?

 

Até quando,

Ó humanidade que vives do trabalho,

Morrerás por guerras de poder que nada te dizem?

 

Ó humanidade que vives do trabalho,

Não mais sejas carne para canhão,

De quem vos suga a vida no dia a dia,

E derrama o vosso sangue nos campos da morte.

   Zé Onofre

 

25
Out21

Comentário 135

Zé Onofre

135

 

2021/06/17

 

Convencidos

Senhores do Mundo e arredores

Nós 

Convencidos

Que olhar a dor dos outros

Desata em nós dilúvios,

Torrentes de dor,

E nos faz tremer de comoção.

Nós solidários com os outros,

Que sofremos na miséria dos seus dias,

Que dormem onde calha,

Que morrem em lugares mais incomuns.

Nós 

Convencidos

Da nossa grandeza de alma,

Da nossa imensa capacidade de compaixão,

Nunca nos lembramos que somos pó

A sofrer por outro pó.

Porém,

Também não esquecemos

Que são aqueles sentimentos,

Emoções,

Compaixões,

Que fazem do pó que somos

Humanidade.

    Zé Onofre

27
Set21

Comentário 109

Zé Onofre

                   109

 

Que diabo,

Se passa com os homens?

Em que monstros nos tornamos?

Que seres

Insensíveis, fizemos de nós?

Em que encruzilhada

Tomamos o caminho errado?

Que fizemos

Da Humanidade Sonhadora?

Quantas vezes

Spartakus morreu às nossas mãos?

Quantas vezes

Crucificámos Cristo?

Quantas revoluções

Vimos abortar de mãos caídas?

Que fizemos

À Igualdade, Fraternidade, Liberdade?

Que fizemos do sonho de vermos

“Todos os homens nascerem livres e iguais?”

Que fizemos da vontade de unir                        

 “Os Proletários de todo o Mundo?”

Tanto sangue perdido

Para fazer um mundo melhor.

Tanto sangue derramado,

Para não haver “Judeu, ou Grego,

Nem senhor, nem escravo”.

Aqui estamos nós

Sonhadores

Que fomos,

Sonhadores

Que queremos continuar a ser,

Subjugados a um poder

Que sem rosto,

Governa sem lei,

E dá pelo nome de  

- Mercado.

Em que momento

Da caminhada

Nos desviamos do sonho?

   Zé Onofre

31
Ago21

Comentário 83

Zé Onofre

83

Por favor digam-me
Qual a criatura,
Com um Ego maior que o mundo,

Que inventou os espelhos.

Qual a criatura
Que, por acaso, vendo o seu rosto
Numa superfície lisa disse
Meus deuses por que me fizestes tão bela?
Que criatura malvada foi essa,
Que do alto da sua arrogância,
Se esqueceu dos outros pobres mortais?
Bem-haja a pessoa,
Que vendo a humanidade,
Pelo menos grande parte dela,
Em depressão activa
Criou um maravilhoso espelho,
Que deixa feliz a criatura que  o olhe,

E lhe diz com delicadeza
“Tu és lindo”.

   Zé Onofre

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub