Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Comentários

Textos/comentários a publicações de autores de outros blogs.

Textos/comentários a publicações de autores de outros blogs.

Comentários

29
Jan22

Comentário 204

Zé Onofre

                    204 

 

2021/10/30, Sobre a publicação,  Lugar sem nome,  de Rita PN, 30.10.21 

 

Despeço-me do pó das memórias.

 

Onde, ainda ontem, havia um lugar

Há agora um buraco,

Momentos de solidão,

Onde temor nenhum

Quebra um pequeno fio ténue

Que me liga à janela do viver.

 

Na pureza das mãos,

Fotografias esquecidas

Diluídas pelo tempo

Estão reféns de uma porta

Numa rua sem nome.

Zé Onofre

16
Nov21

Comentário 155

Zé Onofre

            155

 

2021/08/02

 

A vida é feita

De estranhos caminhos.

Linhas emaranhadas,

Encruzilhadas desconhecidas,

Palavras mal garatujadas,

Lutas leais,

Lutas desiguais,

Vãs glórias,

Fortes vendavais.

 

A vida

É o medo que nos rói,

A alegria que nos eleva,

É mentira que dói,

A verdade que magoa,

O vazio que nos preenche,

A solidão que nos rodeia,

A multidão que nos esmaga,

A tristeza

Que se derrama dos olhos.

A vida são amores,

Desamores,

Ódios,

Amizades

Que vão,

Que veem,

Que ficam,

Que estão.

A vida está lá.

 

 

Felizes os que a acham.

  Zé Onofre

10
Out21

Comentário 121

Zé Onofre

                  121

Vela,

Farol nas trevas

Entre as fragas da vida,

Que guias os espíritos,

Para uma praia dourada,

Para um ancoramento seguro.

Vela,

Luz na solidão,

Que guias as almas inquietas

Para certezas

Que acalmam as angústias.

Vela,

Unguento,

Para a dor de viver.

Vela,

És apenas uma vela,

Que o mais leve sopro de vento apaga.

Não me mostras

A paz de uma praia doce,

Não me deixas o unguento,

Que acalma as feridas de viver.

Vela,

Abandonas-me

Com uma interrogação.

Para onde vai a tua luz

Depois que te apagas?

30
Ago21

Comentário 81

Zé Onofre

                       81

 

A solidão é um estado de alma,

Em o que se sente

Tem sentidos múltiplos,

Tantas vezes contraditórios.

A Solidão é, muitas vezes,

O ponto de equilíbrio

Entre o borburinho que é a nossa vida

E o rolar a mil à hora do mundo lá fora,

Que nos cilindra.

É um local onde nos achamos,

É o húmus onde florescem

Sonhos e viagens

Únicos e únicas.

Outras,

É o local perdido

Onde nos encontramos

Loucos à procura dos outros,

Dos outros que queremos

Tocar, abraçar, apertar

E nos escapam por entre a poeira dos segundos.

Há solidão ansiosa,

"Daqueles que foram cativados",

Que a cada momento que passa

Os torna mais próximos da hora certa

De se perder na pessoa cativada.

  Zé Onofre

19
Jul21

Comentário 53

Zé Onofre

                 53

Solidão e Silêncio

Meus companheiros de todos os momentos.

Em qualquer lugar refugio-me.

Olhando o nada sem limites,

Dialogo comigo e comigo

E um deles é os outros.

Quando volto

Continuo a estar, não estando.

Às vezes, também sinto a falta

De um carinho,

De uma fala amistosa,

De um sorriso só para mim.

Nessas alturas é que o papel paga,    

Carregando palavras sem sentido.                           

    Zé Onofre

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub